Notícias

Outubro Rosa – Como a medicina nuclear pode contribuir na prevenção e diagnóstico do câncer de mama


O mês de outubro é marcado por uma importante campanha: o Outubro Rosa. O intuito da ação é promover a conscientização da doença, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento contribuindo para a redução da mortalidade entre as mulheres. Celebrado anualmente, o movimento internacional Outubro Rosa foi criado no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e reflete em todo o mundo.

Sintomas

Os sintomas de câncer de mama geralmente começam com um nódulo (caroço) fixo, normalmente, indolor; mudança na posição ou formato do mamilo; vermelhidão, retração ou aparência de casca de laranja na pele do seio; saída espontânea de líquido pelo mamilo e caroços no pescoço ou axilas. A mamografia e o ultrassom detectam as alterações e a biópsia confirma o câncer de mama.

Diagnóstico precoce

O diagnóstico precoce para doenças como o câncer pode salvar vidas e isso não muda quando falamos do Câncer de Mama. Na maioria dos casos, ele pode ser detectado facilmente pelo autoexame e, quanto antes for diagnosticado, mais chances de o tratamento ser bem-sucedido. Para mulheres a partir de 40 anos, é recomendado fazer a mamografia de forma periódica, especialmente, para aquelas que têm casos da doença na família.

Câncer de mama e a medicina nuclear

Os exames da medicina nuclear para o diagnóstico e tratamento de câncer de mama são essenciais. Segundo a Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN), a medicina nuclear conta com tecnologias precisas que determinam o comprometimento dos linfonodos que atuam na defesa do organismo, possibilitando a identificação de metástases e micrometástases. Quando a paciente é diagnosticada com câncer, a Medicina Nuclear, que envolve o uso de substâncias radioativas, os chamados radiofármacos, auxilia detectando as metástases, fornecendo informações que ajudam na tomada de decisão pela equipe médica responsável pelos cuidados da paciente, como por exemplo o mastologista, o ginecologista, o oncologista e o radioterapeuta. Alguns exames da medicina nuclear podem ser utilizados para essa identificação.

Confira os principais:

Cintilografia de mama
Este tipo de exame permite a localização de lesões na mama, mesmo em regiões com mais tecido mamário, permitindo uma melhor avaliação do que nos exames convencionais.

Cintilografia óssea
Este exame auxilia na avaliação de metástases ósseas, antes mesmo que estas sejam identificadas em outros exames de imagens convencionais.

PET/CT (Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET) com Tomografia Computadorizada (CT))
O PET/CT pode detectar metástases à distância no corpo inteiro, melhorando a avaliação das chances de tratamento. Por meio deste aparelho, a Medicina Nuclear também é capaz de atuar no controle das lesões mamárias malignas, após cirurgia, tratamento com quimioterapia e em mulheres cuja doença já esteja controlada.

O Grupo MND apoia a campanha Outubro Rosa para o diagnóstico precoce do câncer de mama e o câncer de colo do útero. Um dos aliados no combate dessa patologia é a Medicina Nuclear, capaz de auxiliar nos diagnósticos da doença que todos os anos atingem um alto número de mulheres.

Av. Barão de Itapura, 1276 - Jardim Guanabara, Campinas - SP, 13020-432 - Atendimento: Seg a Sex: 07h / 18h - Telefone: (19) 3731-4141