Notícias

MND é pioneira em radioembolização para tratamento de tumores hepáticos no interior de SP


Como uma clínica focada em medicina nuclear, uma especialidade de alto nível tecnológico, acompanhar as novidades da área é uma das grandes missões da MND Campinas. Por isso, não é de se surpreender que ela seja a pioneira no interior de São Paulo em radioembolização com microesferas90Y (SIRTeX) de tumores hepáticos.

O procedimento foi realizado pela primeira vez no interior de São Paulo no dia 10 de setembro de 2020, com a participação do Dr. Allan Santos (médico nuclear MND Campinas) e dos radiologistas intervencionistas Drs. Lucas Freire e Ricardo Henklain, ambos do Instituto Vascular Campinas (IVasc) e Felipe Nasser.

O tratamento é minimamente invasivo e direcionado para lesões no fígado, realizado por meio da injeção de milhões de pequenas esferas radioativas (marcadas com ítrio-90, uma substância que emite radiação beta) de forma seletiva, diretamente na artéria do fígado que irriga as lesões neoplásicas. Como não atinge outros órgãos, tem como grande vantagem gerar menos efeitos colaterais para o paciente, em um curto tempo de recuperação.

Segundo o médico nuclear Allan Santos e o médico radiologista intervencionista Lucas Freire, o tratamento é indicado para tumores originários (primários) no fígado e vias biliares, ou com metástases predominantemente hepáticas de câncer de outras partes do corpo (como intestino e tumores neuroendócrinos, por exemplo) que não possam ser ressecadas por cirurgia.

“Outra particularidade é que a radioembolização precisa da participação de múltiplos profissionais de diferentes áreas, como oncologistas, médicos nucleares, radiologistas intervencionistas, radiologistas, físicos médicos, biomédicos e equipe de enfermagem. O cálculo da quantidade (atividade) do material radioativo a ser injetado e as imagens de controle são realizadas no Serviço de Medicina Nuclear e a injeção das esferas no interior do fígado, por radiologistas intervencionistas”, explica o médico nuclear da MND Campinas, Allan Santos.

Experiência do Grupo MND

A radioembolização com microesferas foi aprovada pelos órgãos regulatórios nos Estados Unidos e Europa no início dos anos 2000 e já foram tratados mais de 100 mil pacientes em todo o mundo. No Brasil, a técnica foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 2014. O grupo MND também foi o pioneiro na introdução do tratamento no País, sendo responsável pelos procedimentos da Medicina Nuclear da primeira radioembolização do Brasil em setembro de 2014, em São Paulo (SP), onde foram tratados dezenas de pacientes.

 

Na foto: Da esquerda para direita: Dr. Allan Santos (médico nuclear, grupo MND), os radiologistas intervencionistas Drs. Ricardo Henklain (IVasc), Felipe Nasser, Lucas Freire (IVasc) e Gabriel Telles e Leonardo Chammas (Sirtex).

Av. Barão de Itapura, 1276 - Jardim Guanabara, Campinas - SP, 13020-432 - Atendimento: Seg a Sex: 07h / 18h - Telefone: (19) 3731-4141